A serventia do conhecimento

 Todos somos chamados para servir.
Com certeza esse não é o padrão da sociedade atual. Por exemplo, a preocupação dos profissionais atuais é tão somente uma maior capacitação para o aumento da remuneração. Mas... para que ter uma profissão? Por que fazer medicina? Por que ser um fisioterapeuta? Por que um psicólogo? Por que um professor?
Cada formação/profissão vai gerar um montante financeiro e em nossa mente logo as classificamos. Entretanto, tudo que aprendemos em uma faculdade ou em um curso qualquer é como servir pessoas, como servir melhor as pessoas de nosso convívio profissional e até familiar. Para que ter uma profissão ou ser capacitado para ser um profissional melhor? Para mim mesmo? Um médico não fez medicina em uma faculdade para curar sua própria dor, nem um fisioterapeuta para massagear seu próprio pé, nem mesmo um psicólogo para entender sua própria mente. Todo conhecimento é para o serviço, para facilitar a vida dos outros.
Nossa essência é servir, foi para isso que viemos a existência, para isso somos chamados quando nos identificamos com uma profissão. É justamente por isso que nos sentimos os mais frustrados de todos os homens quando colocamos como prioridade a questão financeira. Quando não mais uso minha profissão para servir e sim para explorar meu próximo estou, definitivamente, me corrompendo, isso é claramente um desvio do sentido da existência. É usar meu dom e/ou habilidade para explorar o próximo e tirar proveito financeiro da situação.
Deixamos de nos relacionar bem com os outros e até conosco mesmo quando exploramos ao invés de servir. Aqui reside então os problemas do mundo moderno, pois somos capacitados para servir, e cada vez melhor no mundo pós moderno, mas não somos direcionados pela motivação correta, por isso profissionais frustrados e uma sociedade com relacionamentos quebrados, desde a família até a rua.
Jesus sabia muito bem isso e veio para nos ensinar:
Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.” (Mateus 6.19,20)
Fomos treinados para ganhar mais a partir do quanto mais somos capacitados, porém, a capacitação não é para acumular tesouros na terra, mas, para criarmos um ambiente onde uns servem aos outros. Queremos sempre ser o primeiro e isso não é ruim, pelo contrário, é justamente o que devemos fazer, contudo, com a verdadeira motivação, e só há uma maneira de buscá-la: pelas palavras de Jesus. Deixemos então que Ele fale:
... Sabeis que os que julgam ser príncipes dos gentios, deles se assenhoreiam, e os seus grandes usam de autoridade sobre elas; Mas entre vós não será assim; antes, qualquer que entre vós quiser ser grande, será vosso serviçal; E qualquer que dentre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos.” (Marcos 10. 42-44)
Faça das riquezas desse mundo uma ponte para conquistar amigos e invista neles, pois qualquer outro investimento vai ficar na terra quando Jesus voltar, mas os amigos conquistados para a salvação serão encontrados no ceu. Leia minuciosamente o texto de Lucas 16. 1-13.
Paz!



Amilton Joaquim
Casado com Alba Aureliano
Missionário e Vice presidente da JOCUM Maceió
Estudante de Relações Públicas na UFAL
e Membro da 1ª igreja Batista em Satuba - AL





Curta a MEG no Facebook e siga os nossos posts no @MaceioEGospel.

Web Rádio

Web Rádio

Compartilhe esta Página